Terça-feira, 24 de Março de 2009

TRÊS NA CAMA

 

 

Não olhes para mim dessa maneira, como se pretendesses incutir-me alguma culpa, algum remorso. Não fui eu que abri as portas da relação, não fui eu que me queixei da rotina, não fui eu que disse que 3 era um número mágico, que uma outra mulher na nossa cama só viria apimentar a nossa vida sexual.

Aceitei, com medo de te perder. Mais valia partilhar-te na nossa cama do que ficar sozinha a imaginar-te na cama com outras.

A ansiedade paralisou-me nos dias que precederam o encontro a 3, vi-me como um mero acessório inútil no meio da vossa volúpia, a amante de sempre que tu já conhecias bem demais e da qual estavas farto, um brinquedo descartável sem luxúria para te surpreender, sem faísca para te incendiar.

Afinal a surpresa foi minha. A outra veio desbloquear toda a sensualidade que estava presa dentro de mim e nem eu própria conhecia. Perdi-me de mim mesma no ardor de te possuir e de te partilhar, no prazer escaldante de me entregar a ti e a ela e nem saber qual dos dois me excitava mais, até acabarmos todos esgotados em cima dos lençóis húmidos.

Tinhas razão, tínhamos caído na rotina e eu contentava-me com pouco.

Tinhas razão, podemos ter muito mais prazer a 3.

Tinhas razão, por isso não me olhes com esse ar chocado e ofendido. Tu é que mudaste as regras do jogo e me mostraste o que é bom sexo.

Agora quero a desforra. Desta vez sou eu que escolho e quero um homem. Afinal parece que lamentas eu ter perdido os meus tabus. Ou o privilégio da escolha era só teu?

Já não sinto ansiedade mas expectativa. Vocês vão disputar-me e o fogo que me corre nas veias diz-me que chego bem para os dois.

Não me sinto culpada e tu não tens o direito de te sentir traído.

 

 

publicado por Pandora às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

VENDE-SE VIRGINDADE

http://www.nossanoite.com.br/divadomasini/fotos/cinto%20de%20castidade.jpg

 

 

A notícia da semana foi o leilão da virgindade da Natalie.
E nós a pensarmos que vivemos numa sociedade toda liberal e permissiva, em que só as velhas, as beatas e os trogloditas ainda atribuíam um valor sagrado à virgindade!
Neste caso o critério foi mais financeiro que sagrado! O leilão da virgindade parece-me pura prostituição, e bem cara!
Que se passa? Era a última virgem do planeta? A virgindade voltou a estar na moda ou nunca saiu?
Já ouvi dizer que uma intervenção cirúrgica muito popular na América é as esposas fazerem a reconstrução do hímen para oferecer ao marido como prenda de aniversário. Portanto, cá está a virgindade novamente muito valorizada.
Hoje em dia o sexo tornou-se um assunto banal, toda a gente acha natural dar umas quecas a torto e a direito, e quem se dedicar à castidade é choca, fanática religiosa, traumatizada, anormal, impotente ou gay não assumido.
Homem ou mulher que seja imaculado de casos com o sexo oposto acaba com uma etiqueta destas, a menos que seja padre ou freira…
Esta vida são dois dias e é preciso gozar enquanto se pode e assumir a sexualidade sem tabus, como um acto natural e tal e coisa.
Depois vem a donzela vender a sua virgindade e oferecem-lhe 3,8 milhões de dólares (2,87 milhões de euros), e as cotas voltam a pôr o selo para oferecer ao marido… Isto faz sentido?
Estamos rodeados de contradições. Afinal qual é o valor da virgindade? É um conceito moral antiquado ou um tesouro sem preço?
E se a rapariga não for virgem, é oferecida? Sinceramente, que tipo de relacionamento saudável pode ter como requisito essencial a virgindade? Ou o que interessa para o macho é só marcar mais um escalpe no cinto?
 
 

 

publicado por Pandora às 18:24
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
Quarta-feira, 4 de Fevereiro de 2009

Policonfusão, monocultura

 Sem que a expressão seja proferida uma única vez, o Poliamor é um dos temas centrais do novo filme de Woody Allen. Em Vicky Cristina Barcelona, há um trio amoroso que durante algum tempo vive em conjunto, partilhando a cama, as tarefas e as emoções. As personagens de Scarlett Johansson, Javier Bardem e Penélope Cruz formam um triângulo poliamoroso - uma das configuração possível dentro do poliamor, em que cada um dos três se relaciona com os outros dois; há também relações em V ou em N, por exemplo.

 

É interessante observar as reações do público dentro do cinema. Para muitos a ideia de três pessoas a viverem maritalmente, felizes e apaixonadas, é algo que só acontece nos filmes. E mesmo para algumas pessoas que já ouviram falar de poliamor, o conceito parece impraticável, irreal, forçado e fantasioso. Há um conceito dentro do poliamor que é bastante relevador das clivagens de mentalidade: compersion. "(...)the experience of taking pleasure that one's partner is with another person. The feeling may or may not be sexual. Quite often it's not. It should not be confused with cuckolding practices or voyeurism. It was originally coined by the Kerista Commune in San Francisco[1] (or possibly by the ZEGG community in Germany)[2] which practiced polyfidelity, and has since been adopted throughout the culture of polyamory."

 

Como é possível, perguntar-se-ão muitos, ter prazer em saber que @ noss@ parceir@ tenha outra pessoa? Como é isso de ficarmos felizes por saber que @ noss@ amad@ é feliz com outra pessoa? No filme de Woody Allen, parece-me, é bastante plausível a felicidade que o trio vive, durante algum temtpo. E, felizmente, não há nenhuma intenção de fazer propaganda a este estilo de vida, por isso, a vida do triângulo não é apresentada de forma idílica e perfeita, sem problemas. A questão, o que nos deixa incrédulos e cépticos é, claramante, o ciúme - como é que aquela gente não é consumida pelo ciúme? E se não sentem ciúme, isso quer dizer que não gostam verdadeiramente uns dos outros?

 

Somos ensinados desde crianças que ter ciúme é saudável, que o ciúme "apimenta" uma relação, que alguém que não sente ciúme é porque não gosta verdadeiramente da pessoa, que alguém sem ciúmes é alguém sem interesse no outro. Esta aprendizagem, que coincide com a aprendizagem de uma imensa herança de todo o tipo de preconceitos (que estabelecem o sexismo, a heterodoxia intolerante, o machismo, etc), coíbe-nos de pensarmos em formas de estar diferentes da norma.

 

O que pensam os nossos leitores? A única forma de ter uma vida amorosa feliz, saudável e decente é a monogamia? A mim, parece-me que somos imensamente formatados e condicionados por uma tradição que não gosta de desvios aos padrões que têm sido perpetuados. E que essa formatação faz com que aceitemos,  estimulemos e acabemos por gostar do ciúme (de senti-lo e ver n@ parceir@ a forma de nos aplacar a zanga e também de provocá-lo, para nos sentirmos desejados e importantes) O ciúme baseia-se na insegurança, na posse e, acima de tudo, na sua aceitação no seio da relação pel@ parceir@. E é mais fácil perdoar e ultrapassar um episódio em que a nossa cara metade foi para a cama com outra pessoa (mas nos garantiu que foi a única vez e que não teve importância) do que conviver, aceitar, digerir a possibilidade de a pessoa com quem estamos estar apaixonada e desejar sexual e emocionalmente outra pessoa.

 

 

Isto do compersion, do poliamor, da não-monogamia saudável, o que vos parece? 

publicado por TrïbaL♥Lïbïdo às 12:28
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

PERDER OS 3

 

 

 

Sempre tive curiosidade em saber porque diabo se fala de tirar os 3!
Que 3 é que a mulher perde ao fazer sexo?
Houve quem me dissesse que significava que a mulher tinha praticado sexo vaginal, anal e oral, 3 tipos de quecas. Daí os 3.
Fiquei sempre na dúvida. Claro que quando se diz que uma fulana perdeu os 3, não se vai averiguar que tipo de actos praticou! Terá perdido só um ou dois?...
Ora também é interessante saber que a mulher que praticar todo o tipo de sexo por todos os orifícios menos a vulgar pinocada vaginal, é considerada virgem. Imaginem só a fulana fartinha de fazer br***es e de levar no rabinho, a jurar ao namorado que é virgem e que pode provar que ainda tem os famosos 3! Esta é boa, não é?
Mas volto a perguntar, então afinal o que são os 3 que estão apenas associados à ruptura do hímen?
Bom, depois de um estudo apurado consegui descobrir que a expressão se refere ao preço de 3 vinténs que se pagava, a partir do séc. XVI, para desflorar as escravas virgens vindas de África.
Elas perdiam a virgindade, mas afinal quem as papava é que perdia os 3 vinténs! Saíam consolados, mas ELES é que perdiam os 3, ora essa!
Ou conhecem outras interpretações desta expressão?
 
PANDORA

 

 

publicado por Pandora às 11:52
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Prostituição

 

 

Um tema delicado, mas causa-me confusão que num mundo de relações tão liberais, tão fáceis, tão permissivas, os homens ainda recorram tanto a esse subterfúgio. Ninguém confessa que lá vai, mas sabemos que clientela não lhes falta!
Não será certamente por as mulheres quererem usar cinto de castidade até ao casamento! Nos tempos em que a virgindade era um valor sagrado e o dever conjugal um sacrifício destinado a ter filhos e calar o marido, compreendia-se melhor essa procura.
Mas agora os relacionamentos são tão abertos, tão ligeiros, tão naturais! Qualquer tipo que seja capaz de engatar uma miúda, convence-a em pouco tempo a gozar os prazeres da carne sem que ela se faça rogada, sem compromissos, sem escrúpulos ou preconceitos morais de ambas as partes.
Então, perante tanta e tão diversificada oferta, porque é que as prostitutas continuam a ter um lugar tão privilegiado no altar do prazer?
Claro que a resposta dos homens é óbvia: porque elas é que dominam a nobre arte do kama sutra e sabem satisfazer um homem, ao contrário dessas pitas chocas ansiosas por abrir as pernas a um autêntico vibrador humano que lhes dê orgasmos infinitos!
Pronto, acredito que haja mulheres e homens mal preparados, cada um apenas interessado no seu próprio prazer.
Mas então haverá tantos gajos assim com tanto azar que nunca encontram uma boa companhia e por isso se vêem obrigados a recorrer aos afamados préstimos das profissionais do sexo?! E essas, por muito competentes que sejam, não se limitam também a um mero acto mecânico?
Ou o que está em causa é o receio masculino de intimidade? Dificuldade em estabelecer relações? Tendência a fugir de compromissos? Receio de se exporem e de serem alvo de críticas de igual para igual?
Ao menos as prostitutas não reclamam, não criticam, não questionam, não esperam nada salvo o pagamento, estão sempre prontas, nunca têm dores de cabeça, nem stress, nem crises existenciais, nem expectativas de orgasmos e de performances fantásticas, e nem sequer exigem prazer, afecto, intimidade nem telefonema no dia seguinte!
Um homem avia o seu servicinho como sabe, sai de lá recauchutado e a sentir-se um macho com eles no sítio, e quer lá saber dessas cenas todas dos sentimentos, dos preliminares, do orgasmo feminino, e essas merdas que deixam um gajo f*dido!
É muito mais fácil assim, não é?
 
 

 

sinto-me:
publicado por Pandora às 16:47
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Terça-feira, 20 de Maio de 2008

Relações modernas?

 

Balde de água fria...?

 

...e era uma vez:



- Bom dia!
- Mmmmmmm! - murmura ele deitado.
- Vá levanta-te... ou deixei-te de rastos?
- Estavas muito animada ontem à noite.... sabes que te adoro?
- Parvo!... Claro que sei. [beijo] Vá lá, eu tenho que ir ter com ele, senão começa a estranhar.
- Sempre vais ter com ele?
- Sim!
- Pensei que ficavas aqui comigo...
- Opá! Não me venhas com essa conversa outra vez. Tu sabes que eu gosto é de ti.

 

Ela vai tomar um duche. Ele fica a remoer na cama... olhando para o tecto... (idiota).
Levanta-se e vai ao encontro dela no duche.

- Porque não ficas mais um bocadinho comigo?
- Já te disse que ele está à minha espera. Se me atraso ele pode desconfiar... - volta-se para ele - e tu sabes que eu não quero que ele descubra o que há entre nós!
- Não me olhes com esses olhos... senão como-te!

 

Sexo, sexo... mais sexo... e um bocadinho de amor, depois.

 

- Vou andando. Ele já deve estar no café. Logo estás por aí?
- Sim.
- Ok! - [beijo] - Amo-te muito!
-...eu também

Quando ela ia sair, ele chama-a:
- Olha que começo a ficar farto desta vida.
- Não sejas parvo.
- Se soubesse que seria sempre assim, não me teria casado contigo!
- Quando nos casámos, já sabias que seria cada um com as suas relações... não tenhas medo... o Tiago é só uma diversão, tal como é a tua Carla, a Sílvia e as outras... [beijo]

- Está bem, está bem... vai lá... diverte-te! Olha, no próximo fim de semana, vou estar com a Sílvia. Não te importas?
- Não... claro que não!
Ela suspira e sai. Ele suspira e fica...

 

 


 

É impressão minha, ou as relações são cada vez mais estranhas e, assumidamente, mais sexuais que antigamente?

 

AlfmaniaK

publicado por AlfmaniaK às 00:05
link do post | comentar | ver comentários (53) | favorito
Sexta-feira, 16 de Maio de 2008

Assédio sexual

 

 

Assédio sexual é uma figura normalmente associada às mulheres. Já se sabe que é galar de forma insistente e até inoportuna, forçando as circunstâncias. Montar o cerco para montar a presa, perseguindo-a até ela ser obrigada a ceder.
Tem uma conotação negativa por implicar uma manipulação da vítima, que é levada a praticar o acto debaixo de coacção, para não sofrer represálias.
O exemplo clássico é a pura donzela que sucumbe às mãos ávidas do patrão para não perder o emprego.
Mas também conseguimos imaginar a galdéria que se faz ao patrão, rebolando-se na sua frente com olhares voluptuosos até o atrair para a sua teia, onde depois o mantém preso com vários tipos de chantagem. É um modo hábil para subir mais depressa na carreira ou até para casar com ele, mais a empresa, o dinheiro, a casa e o carro, em perfeita comunhão de corpos e de bens.
Estão aqui 2 situações distintas, uma de assédio feminino e outra de masculino.
Penso que infelizmente tão vulgar é uma como outra, apesar de a ideia que permanece ser a da mulher como vítima exclusiva.
Na realidade, quem se queixa são apenas as mulheres. Para todos os efeitos, são o sexo fraco e podem valer-se das vantagens que esse título acarreta sem lhes denegrir a imagem. Quem fica mal é a besta do opressor, e é justo.
Mas seria ridículo o chefe ir acusar a secretária de o ter montado à força e depois o ter obrigado a casar com ela sob a ameaça de um escândalo! Ou a pândega que seria o rapaz do balcão ir queixar-se da patroa que, fora do expediente, o suga até ao tutano em cima do dito balcão por entre gemidos e ameaças de despedimento!
Ganda lata, mas que cromo me saíste pá, ao menos a gaja era boa? Se não fosse já te tinhas queixado, seu palhaço! Mas que cena essa de ser violado pelas madames, tens cá uma sorte, manda-as ter comigo que eu nem me queixo!
Homem que é homem está sempre pronto para uma pinocada e não pode dar parte de fraco. E daí a história do assédio sexual estar praticamente limitada a mulheres…
 
 

 

 

 

publicado por Pandora às 01:09
link do post | comentar | ver comentários (51) | favorito
Sexta-feira, 9 de Maio de 2008

A diferenciação sexual da masturbação

A masturbação é, ainda, um dos grandes tabus da nossa sociedade e parece-me que veio para ficar.
As razões para tal comportamento prendem-se com a individualidade do acto, contrário à actividade sexual, propriamente dita, em que duas pessoas se consomem em prazeres mil.
Assim, este acto apresenta-se ignóbil e há que escondê-lo de todos: amigos, parceiros, sociedade. O pior de tudo isto? É não haver estatística!
Deste modo não se sabe quem se masturba mais: os solteiros, os casados, os homens, as mulheres... o que torna o assunto ainda mais tabu. É que ninguém assume que se masturba!
Pois eu, minha gente, masturbo-me!
Pimba, já lá vai um para a estatística.

 

Quanto a mim, a masturbação é, essencialmente um acto masculino! As senhoras que me desculpem, mas lá terão de dar um passo em frente e afirmar se o fazem ou não... para que constem nas estatísticas!
O homem masturba-se desde muito cedo e fá-lo com um propósito medicinal: na primeira infância, é comum os miúdos brincarem com o dito cujo, esticando-o, o que ajuda a glande a sair do prepúcio. Aqueles que não o fazem, porque os pais veêm tal acto como prenúncio de uma masturbação tarada, podem ter de se submeter à faca, realizando a circuncisão na adolescência ou idade adulta!
De qualquer modo, é apenas com a chegada da puberbade que os machos começam a actividade de "ascensorista", utilizando-a a torto e a direito, uns, outros lá de vez em quando, nos momentos em que a "sede" aperta mais e os miolos entram em curto-circuito!
As mulheres... bom... não se sabe lá muito bem, embora haja alguns relatos a indicar que existe, embora seja ainda mais mal vista por elas próprias do que a semelhante masculina.
O que acho engraçado, é afirmar-se aos quatro ventos que o homem não percebe nada de mulheres e que elas é que sabem como gostam de ser masturbadas pelo parceiro!
Bem, isso eu entendo, mas que se utilize o mesmo critério para o homem: as mulheres não percebem nada de masturbação masculina. Aquilo não é chegar, agarrar e abanar! Perguntem... vá lá! Nós dizemos como é!

 

Se, em alguns casos, a masturbação pode ser um factor de excitabilidade sexual para aquecer os motores antes da corrida, pode, por outro lado, apresentar-se como destruidor de relações, quando descoberto acidentalmente.
E é sobre este caso que eu gostava de alertar para outra distinção entre géneros: se o homem apanhar a companheira a masturbar-se penso (penso... porque nunca apanhei) que virá ao de cima a sua caraterística de voyeur... não sei...

 

Mas se for a mulher a apanhar o seu homem a escafiar o instrumento... ó lá lá... temos o caldo entornado! E porquê? Por uma coisa de nada... por um desejo individual que não revela nada sobre a nossa relação.
Para nós, homens, aquilo representa um acto isolado, uma maneira de dar vazão ao tesão insuportável que nos assola ao longo do dia. Não tem nada a ver com instisfação sexual, embora também possa ocorrer. Um homem plenamente satisfeito com a mulher, pode masturbar-se como algo normal, não assumindo o acto uma acusação aos dotes sexuais da parceira.

 

Estou certo, ou as mentalidades estão a mudar?

 

oAmante

publicado por audaciosos às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

Guerra dos sexos

 

Se perguntarmos aos homens qual o chamariz que os faz querer papar uma gaja, quais são as respostas óbvias?
- O rabo
- As mamas
- As pernas
- Boca de broche.
Ou seja, uma boazona, com ar de ser uma bomba na cama.
Objectivos muito básicos, cartas em cima da mesa.
 
Mas se perguntarmos às mulheres o segredo da atracção, a resposta não será o cabedal, o ar de quem dá quecas sem parar, a performance sexual, um belo palminho de cara, um bom palmo de pila…
Os factores primordiais terão a ver com o olhar, o sorriso, a inteligência, a personalidade, a voz, o sentido de humor, o charme, a cumplicidade, numa palavra, o romance.
Tais pressupostos reflectem outro grau de exigência, que não se prende só aos apanágios viris específicos, mas que requer uma dimensão interior e uma sensibilidade que transcende os requisitos de um bom amante fogoso.
 
Esta premissa implica que os machos são extremamente primários na caçada enquanto as fêmeas são mais selectivas e possuem uma mentalidade diferente?
Ou significa apenas que, por pudor, as mulheres romantizam e dissimulam os seus desejos mais íntimos, quando na realidade procuram apenas um autêntico garanhão de pau feito e o romance é sexo puro e duro?


Orgásmica

 

<a href="http://technorati.com/claim/nu8y68pqcp" rel="me">Technorati Profile</a>

publicado por audaciosos às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

.mais sobre mim

. online

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. TRÊS NA CAMA

. VENDE-SE VIRGINDADE

. Policonfusão, monocultura

. PERDER OS 3

. Prostituição

. Relações modernas?

. Assédio sexual

. A diferenciação sexual da...

. Guerra dos sexos

.mais comentados

53 comentários
51 comentários
20 comentários
19 comentários
17 comentários
9 comentários
8 comentários

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Estás como eu!Várias pontadas sinto sempre, nunca ...
ttp://www.soparaela.net/Sex Shop SoParaEla.Net, a ...
sem qualquer sombra de duvidas. concordo completam...
Os homens não contam por uma questão de orgulho. P...
Orgasmo masculino de verdade só com Aneros: http:/...
bom blog
bom blog
ConviteO livro "Continuando assim...", foi maltrat...
Technorati Profile

.subscrever feeds