Segunda-feira, 11 de Maio de 2009

...

 

Aqui há tempos, eu e duas amigas trocávamos impressões sobre relações... relações passadas e relações presentes, o que é que era mau e o que é que era bom, o sexo, a amizade, o companheirismo...

 

Quando a conversa foi para o lado do sexo, começámos a falar do que é que já tínhamos experienciado, o que tinhamos gostado ou não, as sensações que tinhamos tido... e chegámos aos orgasmos múltiplos.

 

Uma delas, disse que nunca tinha tido orgasmos múltiplos. Que já tinha tido vários orgasmos de seguida, mas nunca orgasmos múltiplos. Eu e a outra começámos a dar-lhe dicas, de acordo com as nossas experiências pessoais, sobre o que poderia fazer para conseguir!

 

Mas então... esclareça-se aqui uma coisa... qual a distância temporal máxima entre 2 orgasmos para que sejam considerados orgasmos múltiplos? Se numa "sessão" de sexo de umas 2 horas, atingir vários orgasmos de seguida, são orgasmos múltiplos ou orgasmos consecutivos? Os orgasmos múltiplos só o são se estivermos permanente no climax?

 

[edit - ajuste da imagem]

sinto-me:
tags:
publicado por gajainfiel às 14:06
editado por audaciosos às 16:49
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Quinta-feira, 16 de Abril de 2009

Responde a esta dúvida

O que eram capaz de fazer para terem o perdão de alguém que magoaram? Para terem de volta a mulher ou homem da vossa vida?

 

É mais fácil ficar à espera. É mais fácil mandar mensagens queridas. É mais fácil dizer "Amo-te". É mais fácil ir beber copos enquanto ela/ele se decide. É mais fácil colocar o peso de uma decisão sobre os ombros da pessoa que foi magoada. Afinal, sabe o quão frágil está. É mais fácil.

 

para mim, há sempre mais a fazer. sempre!

publicado por Cláudia Oliveira às 12:20
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 7 de Abril de 2009

Os homens não valem o que mostram no inicio

Enquanto não as têm, enquanto não as sentem presas fazem de tudo para as agradar. Assim são os homens. Jantares, cinema, teatro, passeios, coisas e coisinhas. Querem apresentar a familia. Querem andar a passear com ela perto dos amigos. Etc...

 

Só que depois de todo esse trabalho as coisas mudam.

 

Já não gostam de levar a namorada para perto dos amigos. Querem é copos entre machos. Já não há dinheiro para tanto jantar. A familia pode ficar para depois.

 

Sim, não valem o que tentam mostrar no inicio. É fachada. Tudo fachada.

 

publicado por Cláudia Oliveira às 15:02
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Terça-feira, 24 de Março de 2009

TRÊS NA CAMA

 

 

Não olhes para mim dessa maneira, como se pretendesses incutir-me alguma culpa, algum remorso. Não fui eu que abri as portas da relação, não fui eu que me queixei da rotina, não fui eu que disse que 3 era um número mágico, que uma outra mulher na nossa cama só viria apimentar a nossa vida sexual.

Aceitei, com medo de te perder. Mais valia partilhar-te na nossa cama do que ficar sozinha a imaginar-te na cama com outras.

A ansiedade paralisou-me nos dias que precederam o encontro a 3, vi-me como um mero acessório inútil no meio da vossa volúpia, a amante de sempre que tu já conhecias bem demais e da qual estavas farto, um brinquedo descartável sem luxúria para te surpreender, sem faísca para te incendiar.

Afinal a surpresa foi minha. A outra veio desbloquear toda a sensualidade que estava presa dentro de mim e nem eu própria conhecia. Perdi-me de mim mesma no ardor de te possuir e de te partilhar, no prazer escaldante de me entregar a ti e a ela e nem saber qual dos dois me excitava mais, até acabarmos todos esgotados em cima dos lençóis húmidos.

Tinhas razão, tínhamos caído na rotina e eu contentava-me com pouco.

Tinhas razão, podemos ter muito mais prazer a 3.

Tinhas razão, por isso não me olhes com esse ar chocado e ofendido. Tu é que mudaste as regras do jogo e me mostraste o que é bom sexo.

Agora quero a desforra. Desta vez sou eu que escolho e quero um homem. Afinal parece que lamentas eu ter perdido os meus tabus. Ou o privilégio da escolha era só teu?

Já não sinto ansiedade mas expectativa. Vocês vão disputar-me e o fogo que me corre nas veias diz-me que chego bem para os dois.

Não me sinto culpada e tu não tens o direito de te sentir traído.

 

 

publicado por Pandora às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Quinta-feira, 12 de Março de 2009

Factor XXX

 

É sabido que o fruto proibido é o mais apetecido, mas os critérios que tornam o fruto proibido, variam de pessoa para pessoa.
No sexo, há inúmeros frutos proibidos... e parece-me que, ao contrário de outros contextos, há um critério comum nestes frutos: pudor!
A origem destes frutos estará, muitas vezes, relacionado com a indústria pornográfica. "Será que posso fazer aquilo?"; "Será que ele gosta daquilo?"; "Quem me dera que me fizessem aquilo!"... etc e tal. Normalmente estas coisas que vemos são rapidamente conotadas de nojentas e desnecessárias, como que dizendo "Haaa! Eu não preciso disso, nem nunca tive curiosidade!".

Acredito que cada qual terá as suas convicções, e canta o que lhe parecer melhor... mas aposto que lá no fundo, se se lhe for proibido algo, a coisa muda de figura. Começo com um exemplo simples e fácil de extrapolar: imaginemos um casal. Ela detesta que lhe façam sexo oral. Acha um nojo! Até aqui tudo bem. Ele naturalmente respeita. Mas o factor de que é-lhe proibido "fazer" algo, deve resultar numa excitação sempre que julga haver a hipótese de o poder fazer! Não precisa, é certo (e provavelmente é melhor assim), mas as relações deles devem ter um sabor bem aprimorado... só porque não se pode fazer aquilo. O sexo oral, está cada vez mais aceite e vulgarizado como um acto perfeitamente normal... mas para aquele indivíduo, naqueles momentos, é algo de extraordinário!! E ganha ele e... por tabela, ela!

Usei este exemplo, porque o sexo oral é algo muito acessível, e acho interessante que o facto de o tornar proibido, faz dele algo absolutamente excitante... só de pensar!
Como este, e agora adaptando aos pudores mais fortes: ejacular na boca ou enfiar um dedo no ânus do parceiro, são experiências que se baseiam em frutos proibidos - que bem observados... nada terão de especial ou mágico! Só pudor.


Ora, se por um lado condeno o pudor desmesurado, por outro fico contente que haja pudor pois este é libertador para a libido. Já alguma vez pararam para pensar naquilo que seriam capaz de experimentar/fazer e quais os vossos limites? Qual é o vosso factor XXX?
 

AlfmaniaK

sinto-me: Sodomizador
música: Eels - Novocaine for The Soul
publicado por AlfmaniaK às 02:08
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009

Sexo com humor

Fazer sexo é bom! Com amor, ainda melhor... e com humor?
A intimidade durante o acto sexual pressupõe alguma seriedade, portanto o humor parece não ter espaço, porém o mesmo acto pressupõe ser divertido.

 

Confesso que me faz espécie o sexo com diversão acrescida do parceiro, ou seja: quando este se ri (ei. uma boa gargalhada) de forma saudável!
Acho que me faz espécie porque o esperado são gemidos de prazer, gestos de ternura e/ou cenas com alguma conotação lamechas (mimos) bem sexuais. Não espero que haja uma "gargalhada", reflexo de alguma tirada ou piropo bem divertido, porque se era um piropo conscientemente engraçado, a ideia não é rir, mas colocar uma pitada de bom humor e, consequentemente, boa disposição.

Enfim, o certo é que a gargalhada - se exagerada - mata o ambiente. Não é uma regra, mas dependendo do estado de espírito, pode contribuir para um esforço sôfrego na performance. Como exemplo, dou a minha experiência, na qual é recorrente nos preliminares haver uma resposta, digamos, demasiada divertida. Se por um lado gosto, por outro fico com a ideia que "ela" não está nem aí para o sexo. Bom, isto não se aplica, se também estiver claramente divertido, óbvio!

 

Seja como for, se houver quem se incomode com estas coisas, parece-me que não é conversa nem expõe a sua posição. Consequentemente, parece que os parceiros ignoram se incomoda ou não. E depois lembro-me de casos possíveis em que o parceiro desata a rir porque se lembrou de algum disparate, rindo-se de forma involuntária durante o acto.  Já para não falar dos orgasmos acompanhados de valentes gargalhadas... porque não se consegue evitar. E isto parece-me ser a gota d'água! Ou há seriedade e rigor, ou então mais vale brincar com a mão... estou a fazer birra, não estou?

AlfmaniaK

sinto-me: Crap!
publicado por AlfmaniaK às 10:53
link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

A linguagem do sexo!


Porque o tema sempre surgiu em diversa literatura, queria falar hoje da linguagem no acto sexual.

Sabemos que aquele momento é mais dado à extemporização de emoções e que o instinto animal anda mais à superfície (!), mas há um grande comedimento nas palavras, apesar de apetecer gritar... ou partir para o obsceno!
Embora ninguém o admita, parece-me que ambos os sexos gostam de dizer/ouvir palavras mais fortes, mesmo em calão, invectivando o(a) outro(a)!
Tal facto pode não se verificar entre casais que vêem o sexo de modo mais formal, mas estará mais entranhado em relações «one night stand» ou extra-matrimoniais... devido à libertação da vergonha, talvez!
Não sei se realmente isso serve para apimentar o acto em si, criando um enredo de aventura... entrando em jogos... ou não!
Por isso, queria mesmo saber o que esperam as mulheres ouvir de nós e o que esperamos nós ouvir delas.
Ou não se diz nada?

 

publicado por oamante às 08:47
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009

Quem quer casa, compra sozinho

Bem... é tudo muito bonito quando se namora. Quando não se conhece a familia dele. Quando há prendas, surpresas, passeios, fotografias a dois. Só que chega uma altura e os casais ou se separam ou dão outro passo. Compra da casa. Pois é.

 

- Quero ficar contigo para sempre.

- Oh que querido. Vamos morar juntos?

- Sim. Vamos comprar casa.

- Oh que querido.

- Fazemos assim. Eu compro a casa. Fica no meu nome. Não tens de te preocupar com nada.

 

Uma pessoa não tendo que se preocupar com alguma coisa, é bom. Aliás, é optimo. Agora ir viver para uma casa que não é nossa. Gastar dinheiro em despesas numa casa que não é nossa. Comprar mobilias para uma casa que não é nossa. E se as coisas não resultam? Simples. Vamos embora da casa que não é nossa.

 

- Porque não fica no nome dos dois?

- É melhor... ficar apenas no nome de um.

- E aquilo do  "para sempre"? 

- Acreditas nisso?

 

Mau Feitio

 

publicado por Cláudia Oliveira às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 16 de Fevereiro de 2009

O ponto G masculino

"A estimulação da próstata em homens tem sido comparada à estimulação do ponto G nas mulheres. Portanto, a estimulação da próstata pode resultar em orgasmos mais intensos. Alguns homens são capazes de atingir o orgasmo somente com a estimulação prostática."

 

A próstata que, a partir da meia-idade, é uma fonte de tantas preocupações, pode ser uma fonte de prazer. A massagem da próstata pode levar ao orgasmo, e segundo alguns relatos, a orgasmos de grande intensidade. No Japão, é comum homens heterossexuais procurarem esse tipo de estimulação, em "massagistas", em que esta prática é aceite, não sendo considerada da mesma forma que uma relação cliente/prostituta.

 

No ocidente, a série de vídeos "Bend Over Boyfriend" veio trazer ao cima o assunto, indiciando que a prática começa a ter algum sucesso entre casais heterossexuais. A AskMen tem informação bastante interessante sobre a estimulação do ponto G masculino. As marcas de sex-toys começam a vender brinquedos desenhados para a estimulação da próstata, como o Bob, da Lelo.

 

Se os hábitos foram mudando, será que isso é um reflexo de uma mudança das mentalidades, ou a moda antecipou-se (com todo o potencial comercial que esta nova tendência sugere) à superação dos preconceitos?

 

O ânus masculino, para um casal heterossexual, é ainda uma zona proibida, impensável? Os homens deixaram de lado o medo de serem considerados homossexuais, ou continuam receosos que o prazer transporte, além da satisfação, uma conotação insuperável? Venham de lá as vossas opiniões!

publicado por TrïbaL♥Lïbïdo às 14:24
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009

Até onde vai a nossa fantasia e tolerância?

 

 

Hoje, ao passar pelos destaques do SAPO, encontrei um post com um nome sugestivo: E você está contente com as suas maminhas?, no post discutia-se o facto de uma mulher ter decidido tirar uns dias para fazer um implante mamário e aumentar os seios, dei-me ao trabalho de ler as dezenas de comentários... é claro que há ideias para todos os gostos.

 

Chamou-me a atenção algo em especial, no meio dos muitos comentários, as mulheres dizem que o fariam porque gostam de se olhar ao espelho e ver algo agradável, as que nunca o fariam porque as pessoas devem sentir-se bem consigo mesmas, as que se tivessem dinheiro para tal o gastariam de uma forma mais adequada... há de tudo e para todos os gostos. A maioria passou ao lado de uma parte importante do post... então e se for o marido a pedir? quem se referiu a essa parte do post, disse que não o faria, se ele não gostasse, paciência, mas será assim tão simples?

 

O ser humano vive principalmente em função dos sentidos, o que observamos e sentimos é muito importante, estes dias discutíamos o facto de gostarmos ou não de pornografia e  da sua importância nas nossas fantasias.... mas o que acontece quando tentamos transportar para as nossas vidas os modelos de perfeição que encontramos nos filmes e nas fotografias? E se um dia nos pedirem para aumentar os seios, ou para colocar uma prótese para aumentar o tamanho do pénis?, ou para tomar viagra de modo a aumentar o nosso desempennho?... estamos dispostos a isso em prol de uma vida sexual mais preenchida? Até onde vai a nossa fantasia e tolerância? Estavamos dispostos a arriscar que fossem procurar esse ideal noutro lado?

 

Nai 

 

 

publicado por naiguata às 23:33
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

.mais sobre mim

. online

.pesquisar

 

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. Responde a esta dúvida

. Os homens não valem o que...

. TRÊS NA CAMA

. Factor XXX

. Sexo com humor

. A linguagem do sexo!

. Quem quer casa, compra so...

. O ponto G masculino

. Até onde vai a nossa fant...

.mais comentados

68 comentários
53 comentários
51 comentários
31 comentários
29 comentários
22 comentários

.arquivos

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

.links

.últ. comentários

Estás como eu!Várias pontadas sinto sempre, nunca ...
ttp://www.soparaela.net/Sex Shop SoParaEla.Net, a ...
sem qualquer sombra de duvidas. concordo completam...
Os homens não contam por uma questão de orgulho. P...
Orgasmo masculino de verdade só com Aneros: http:/...
bom blog
bom blog
ConviteO livro "Continuando assim...", foi maltrat...
Technorati Profile

.subscrever feeds